O que a Geração Y espera do trabalho?

Rate this post

Esta matéria do Anywhere Working (versão em inglês aqui) relaciona os pontos nos quais as empresas precisam ficar atentas para atrair e reter talentos da Geração Y. O grande desafio é falar a língua deles, ter uma empresa conectada com as novas tecnologias, com um ambiente amistoso e políticas de trabalho flexíveis, incluindo o home office. Acompanhe:

A geração que hoje está na casa dos 30 anos, conhecida como millennials ou Geração Y, é conhecida por trocar de trabalho com uma certa frequência, sempre em busca da função perfeita para ela. Isso significa que as empresas terão que fazer mudanças em seus meios e cultura de trabalho para poder atrair e reter essa nova geração de talentos. Com este cenário, quais mudanças os empregadores devem considerar?

Tecnologia

A Geração Y está equipada com o que há de melhor em termos de tecnologia e muitos empregadores ficarão surpresos com o nível de conhecimento tecnológico que eles possuem. Por isso, terão que fornecer bons recursos tecnológicos, inclusive através das políticas BYOD (Bring Your Own Device) e BYOA (Bring Your Own App).

Mídias Socias

Esta geração está, sem dúvida, sempre conectada e ativa nas redes sociais. Para eles, esta é uma zona de conforto e podem até ser mais produtivos quando estão com as abas das redes abertas em seus computadores.
Muitas empresas já contam com políticas sobre as mídias sociais, no entanto, terão que desenvolver novas regras sobre o assunto de acordo com as necessidades da Geração Y. Em suma, as organizações deveriam se comunicar com esta geração através dos meios preferidos por eles.

Rápidos e multifuncionais

A Geração Y cresceu em um mundo cheio de mudanças, especialmente nas tecnologias, mídias sociais e compartilhamento de informações. Resultado disso é que eles buscam esta mesma dinâmica nas empresas. De acordo com o Econsultancy, esta geração está acostumada a “alternar sua atenção entre plataformas de mídia como laptops, smartphones, tablets e televisão 27 vezes por hora”.

Esta geração é uma nova categoria de multi-taskers que se desmotivam quando inseridos em culturas de trabalho lentas. As empresas precisam então reestruturar sua cultura e estilo de trabalho em equipe para ficar em dia com esta geração.

Espaços engajadores

De acordo com a CNN, a Geração Y considera muito a questão de ter espaços engajadores. As empresas e organizações terão, então, que rever seus espaços de trabalho a fim de deixá-los mais colaborativos e empolgantes. Elas terão ainda que permitir que eles trabalhem nos locais onde são mais produtivos, como ressalta o artigo: “o foco está na colaboração e inovação, ninguém tem uma mesa fixa, e os colaboradores são encorajados a se moverem pelo espaço e trabalhar em um lugar que seja mais adequado à sua atividade, a qualquer hora”.

Trabalho flexível

Segundo um artigo do Guardian, a Geração Y tem diferentes prioridades, “eles se preocupam menos com salários e mais com a flexibilidade no trabalho, tempo para viajar e um melhor equilíbrio entre vida pessoal e trabalho”. O estudo citado no artigo revela que 85% da Geração Y queriam gastar 30% a 70% de seu tempo trabalhando de casa. Mais da metade gostaria de um acordo de trabalho flexível.

O trabalho flexível está se tornando cada vez mais e mais popular entre os empregados e mais reconhecido pelos empregadores, que agora deveriam agir e desenvolver uma política de trabalho flexível.

(via Anywhere Working)

Screen Shot 2013-05-23 at 18.25.15

Leave A Response

* Denotes Required Field