Mais dicas para uma mãe no home-office: entrevista com Maggi Krause

Rate this post

A Maggi fez o que muitos não aconselham fazer: largar um emprego “estável” (se é que ainda existe algo assim) e migrar seu trabalho para casa. Mas quem não arrisca, não petisca: trabalhando em um home-office a Maggi passa menos tempo no trânsito, mais tempo com os filhos e trouxe para sua vida não só um grande ganho na qualidade de vida mas seus projetos pessoais e profissionais vão de vento em popa. Na entrevista abaixo, a Maggi passa algumas dicas que facilitaram esta transição. Aproveite!
———————–

1. Quais os preparativos que devem ser feitos por uma mãe que trabalha fora e pretende montar um escritório em casa?
No meu caso, acho que o mais importante foi criar a disposição interna, ou seja, amadurecer a idéia de que seria possível sobreviver e fazer diferença no mercado sem estar atrelada a uma grande empresa. Depois de trabalhar quase 14 anos na editora Abril, desde formada na faculdade, eu praticamente era uma cria da empresa e, mais do que isso, tinha uma posição destacada e respeitada. Credito a um ano de terapia floral, com apoio da minha terapeuta, a coragem para dar esse passo e acreditar no meu potencial. O apoio do meu marido contou demais também, claro! A parte física, ou seja – espaço de trabalho e equipamento –, é mais fácil de resolver do que a confiança e a auto-estima!!

2. Que mudanças aconteceram no convívio familiar depois que você passou a trabalhar de casa?
As mudanças foram só positivas. Agora tenho um tempo maior dedicado aos meninos, não me canso tanto por conta de trânsito (esse fator é bem pesado numa cidade como São Paulo) e sinto mais prazer em meus projetos, o que acaba se refletindo no relacionamento com a família. A qualidade de vida, de uma maneira geral, melhorou muito.

3. Como se concentrar no trabalho com as interferências, demandas e necessidade de atenção de um filho?
Olha, no caso dos meus filhos (um com 6 anos e outro com 3), essa é quase uma missão impossível, pois eles ainda exigem muita atenção. Por isso mesmo mantive as crianças na escola em período extensivo, ou seja, quando eles chegam (no final da tarde), eu costumo parar tudo e dar atenção só para eles. Se precisar, volto a trabalhar mais tarde, depois que eles dormem.

4. Qual o limite que deve se impor entre casa e escritório com relação à ruídos: não permitir que a criança brinque na sua própria casa e perder em profissionalismo?
Essa é uma parada dura! Já precisei atender a uma ligação de trabalho (em que precisava captar uma entrevista por telefone), enquanto meus filhos gritavam por atenção na banheira. Tento trabalhar o máximo de tempo enquanto eles não estão em casa e, portanto, não costumo ter esse problema regularmente, que deve ser bem difícil de administrar.

5. Como você gerencia seu tempo entre trabalho e cuidar do seu filho?
O mais velho está na escola em período extensivo três vezes por semana e o pequeno, no integral todos os dias (até as 17h). Costumo almoçar com o Tiago quando ele chega mais cedo da escola, acompanho a lição e depois, se ele descansa ou vê TV, escapo para o computador; se não, desço para o parquinho onde ele brinca ou anda de bicicleta ou skate. Pelo menos uma vez por semana “fecho a barraquinha” às 16h15 para levar os dois à natação.

6. Para uma mãe, quais são as maiores vantagens de um home office?
No meu caso, a maior vantagem foi o número de horas que ganhei a mais na convivência com os filhos. Antes, chegava em casa às 19h30, agora, a partir de 17h estou com eles. Parece pouco, mas como vão dormir às 21h, dobrei o tempo de convívio durante a semana – e isso faz diferença. Também posso me programar para tirar férias durante os recessos escolares, é mais fácil do que quando estava empregada.

7. E os desafios?
O desafio deve ser o mesmo de qualquer um que tenha um home office: manter o foco para não se perder entre o trabalho e as demandas da casa. O contrário também vale – e passo atualmente por essa experiência – saber quando é hora de dar um basta no trabalho, desligar tudo e voltar para o convívio familiar. Essa linha fica tênue e é preciso ter método para não ficar ligada e preocupada com o trabalho parado ali do lado, no escritório de casa!

8. Quais conselhos você daria para uma mãe que está pensando em ir trabalhar em casa?
Primeiro faria uma lista de prós e contras para pintar um quadro bem realista sobre essa nova realidade. No meu caso, foi preciso abrir mão de um bom salário e benefícios – atualmente ganho metade do meu salário anterior. Mas ganhei em qualidade de vida e em convívio familiar e isso não tem preço!

Também avaliaria com cautela se existe perfil adequado para trabalhar em casa, pois tem muita gente que começa e não agüenta (o isolamento, a rotina das interferências da casa etc.). Eu não tentei ser mulher maravilha e dar conta de trabalhar e ainda cuidar dos filhos ao mesmo tempo, mantive os dois nas escolas com horário estendido. Mesmo assim, agora equilibro melhor vida profissional e pessoal.
Acho interessante fazer um teste antes de decidir largar a empresa. Antes de sair da Abril, fiz essa experiência de me dedicar a um projeto paralelo que eu tocava de casa: trabalhava nele de 8h às 10h da manhã, algumas noites e muitos finais de semana. Percebi que tinha disciplina para trabalhar em casa e assim tomei coragem para montar meu home office.

Maggi Krause é jornalista free-lancer, faz edição de textos de livros e revistas e toca o site www.vidadeequilibrista.com.br em parceria com Cecília Troiano. É mãe de dois meninos.

—————————-
Go Home Office

4 Comments

  • ANA MARIA CAMARGO

    Reply Reply 12 de outubro de 2008

    Olá a todos,

    Gostaria de saber se alguém pode me dar uma dica de um trabalho em casa, qualquer um, gosto também de cozinhar, tenho muita experiência em área administrativa, mas tenho 2 filhos pequenos e não consigo trabalhar fora no momento. Agradeço a ajuda de todos. Obrigada, Ana

  • Regina Araújo

    Reply Reply 17 de outubro de 2008

    Boa tarde,

    Sempre tive vontade de trabalhar em casa mas não sei por onde começar, tem alguma dica? atualmente trabalho como assistente comercial.
    agradeço.
    Regina

  • Andre

    Reply Reply 17 de outubro de 2008

    Olá Ana, olá Regina!

    Todas as dicas que temos estão no blog! Basta dar uma passada de olhos nos artigos e entrevistas para ter uma boa idéia do que é necessário para trabalhar de casa. Lembrando que uma das coisas mais importantes é vontade.

    Boa sorte e sucesso!!!

  • Aline

    Reply Reply 5 de julho de 2010

    Ola meninas… adorei o depoimento da Maggi, já fiz minha escolha, ainda estou trabalhando com carga horária e pressão pesadíssimas, mas já abri minha empresa de eventos, e em 3 meses já fiz 3 projetos pralelos muito legais e deu super certo, claro que tb abrirei mão de um bom salário e benefícios para ter o meu home-office mas acredito muito que valerá a pena, logo logo então estarei unida a você Maggi e poderei dar mais atenção a meus dois filhos, uma menina já de 12 anos e um menino de 4anos, minha única dúvida ainda é se dispenso ou não a minha empregada, um lado esta o salário dela que carregará minhas despesas, por outro lado é que com ela poderei me dedicar mais a minha empresa, tendo em vista que meus filhos vão a escola somente a tarde então tem casa, almoço, roupas etc… ainda não sei o que fazer com esta questão, tem alguma dica?
    Beijos

Leave A Response

* Denotes Required Field