Mais de 100 pedidos pelo home office no CNJ

Rate this post

O setor judiciário brasileiro está cada vez mais inclinado à adoção do home office. Em um mês, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) recebeu 185 sugestões para regulamentar o trabalho remoto no Poder Judiciário. O home office já é adotado em vários tribunais brasileiros e a intenção agora é expandir a prática. Algumas questões, porém, ainda cercam a implementação do teletrabalho pelo judiciário, como a proibição da prática por servidores em estágio probatório, a possibilidade de realizar o trabalho em outro país ou outra cidade, além da questão de estender ou não o home office aos cargos de chefia.

No Brasil, alguns tribunais permitem o trabalho em casa, porém com meta de produtividade acima dos demais colegas. Na Justiça do Trabalho, a produção tem que estar 20% acima do usual e no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a meta é de 15% a mais. Mesmo assim, a prática do home office se expande. No Tribunal Regional Federal da 4ª Região, por exemplo, só em junho de 2015, mais de 200 servidores partiram para este sistema. Eles permitem que o home office seja praticado por 30% de sua equipe.

home office judiciario

Simone Dalla-Bona, 32, trabalha de Los Angeles para o TRF-4 em Porto Alegre. Com o processo eletrônico, tudo é resolvido pela internet, sem pilhas de processos (Foto: Jean Paulo Lasmar/Arquivo Pessoal) Via G1

No Tribunal Superior do Trabalho, a prática do home office é exercida desde 2012 e eles têm relatado bons resultados com a implementação. As chefias observaram aumento da produtividade dos funcionários que trabalham em casa. No TST, a meta de produtividade também está na casa dos 15% acima dos colegas que ficam no escritório.

Com a digitalização de processos e acesso remoto via computador, as práticas judiciárias estão cada vez mais próximas do home office. Vários setores do país já perceberam os inúmeros benefícios do trabalho remoto (ou portátil), que além de esvaziar as congestionadas vias públicas, também oferece mais qualidade de vida para seus funcionários.

Saiba mais sobre outros tribunais de justiça estaduais que buscam o home office.

Via Conjur e JusBrasil.

Leave A Response

* Denotes Required Field