Mãe no home office: dá-se um jeito para tudo

Rate this post

Confira mais esta matéria exclusiva do GoHome com a mamãe e assessora de imprensa Danielle Sommer. Veja quais são os malabarismos que ela faz para cuidar do David, de quatro meses, e trabalhar.

Home office e maternidade

A tarefa não é fácil, mas também não é impossível. Danielle Sommer que o diga. Desde que o David nasceu, há quatro meses, ela se desdobra para cuidar do neném e da carreira. Para tanto, desenvolveu “técnicas” próprias e contou também com o apoio dos clientes e da sócia, Rafaela Salomon, que entendem perfeitamente a situação. Como não é registrada, e sim sócia na assessoria de imprensa, Dani não teve uma licença-maternidade padrão. Então, foi inviável se ausentar por quatro meses. É aí que entra o home office. “A salvação é que grande parte do meu trabalho pode ser feito pelo computador, com ajuda do telefone. Logo na primeira semana após o nascimento do David já comecei a fazer o que era urgente de casa. O meu sofá se transformou no escritório. Não é o adequado, mas eu levava o notebook para o sofá e na frente ficavam o carrinho, cadeirinha e tapetinho de atividades”, comenta. Enquanto o neném fica distraído, Dani aproveita para trabalhar, mas afirma que às vezes dá uma certa culpa por não poder interagir com ele o tempo todo. Porém, ela está ali, sempre ao lado dele. “No começo, enquanto amamentava, não conseguia atender ao telefone ao mesmo tempo e muitas vezes tive que retornar para jornalistas ou clientes um tempo depois”.

Aprendendo novas técnicas de digitação

Aprendendo novas técnicas de digitação

A assessora também conta com uma ajuda extra: a mãe e o marido (que é fotógrafo) têm horários flexíveis e podem ajudar sempre que é preciso. “Muitas vezes minha mãe ficou lá em casa ou fui até a casa dela para poder trabalhar enquanto ela cuidava dele, e eu parava para amamentar, nos dias em que o trabalho estava mais apertado. Quem tem a chance de ter uma babá, sem dúvida, facilita muito o home office”, conta a jornalista. Ela ainda afirma que com um bebê recém-nascido, não tem como adotar horários específicos, então o negócio é ir se adaptando e criando a própria rotina. “Nem sempre conseguimos fazer as coisas na hora que é necessário. Principalmente porque meu filho é um guloso (rsrs), quer mamar de hora em hora e quase não dorme durante o dia. Então, preciso dar muita atenção a ele”. Por isso, Dani costuma adiantar o trabalho à noite, quando o marido já voltou do trabalho, e lida com textos, e-mails, etc., para deixar a pauta do dia seguinte já adiantada. “Assim fico mais livre para fazer trabalhos de última hora ou emergências que surjam”, explica.

Dani e David (Imagem: Rafael Danielewicz)

Dani e David (Imagem: Rafael Danielewicz)

Por ser um trabalho que depende essencialmente do computador e telefone, Dani pretende adotar o home office pela manhã e levar David para o escritório à tarde, no bercinho portátil. Isso até ele completar seis meses; depois, vai para o berçário por meio-período. Durante esta experiência intensa de mãe recente e home officer, Dani se esquematizou da seguinte forma: em reuniões, leva o neném e a mãe junto. “Já fomos os três: eu, minha mãe e o David, tanto em reuniões no meu escritório como em clientes. Daí eles ficam na sala de espera e antes ou depois da reunião eu amamento (porque não dá tempo de sair sozinha, com o trânsito, ir para a reunião e voltar, porque o espaço entre as mamadas dele é muito curto)”, conta Dani. Os clientes compreendem a situação e alguns até brincam quando ligam: “pode falar ou está amamentando?” Quando não podia atender, Dani mandava uma mensagem para o cliente dizendo que estava amamentando e já retornava. “No começo tinha receio de fazer ligações com medo que ele chorasse no meio, mas agora ligo e atendo e se ele começa a chorar, peço desculpas e explico que estou com bebê pequeno, trabalhando de casa. Acho que todo mundo entende e sabe que nem sempre é fácil conciliar a carreira com a vida de mãe”, finaliza.

Grande exemplo, Dani! Super mãe, com jogo de cintura, e profissional. Mais uma inspiração para as mães em home office. Go Mães!

1 Comment

  • Clarissa

    Reply Reply 1 de maio de 2013

    Pena que no meu tempo (há alguns anos), nem se cogitava desta modalidade de trabalho.
    Quantas mulheres,que tinham preparo para contribuir com sua capacidade laborial,perderam esta formidável chance.

Leave A Response

* Denotes Required Field