Como trabalhar com a família por perto – André Elidio, do Citi, conta experiência

Rate this post

André Elidio é Analista de Sistemas do Citi Brasil e trabalha em casa desde o início deste ano. Ele conta com exclusividade para o GoHome como administra este dia-a-dia, que depende de colaboração da família, rotina estipulada e uma boa administração do tempo.

Confira:

GoHome: Desde quando trabalha em home office e por quê?
André Elidio: Trabalho em home office desde fevereiro de 2013, seguindo um programa disponibilizado pela empresa.
Como o Citi possibilita este benefício, fiz a solicitação para poder ganhar qualidade de vida e ficar mais próximo da minha família.

GH: Como administra o dia-a-dia no home office com a família por perto?
AE: Considero três fatos importantes:
-Manter a rotina da casa como se eu estivesse na empresa buscando, assim, não interferir nas intercorrências normais do ambiente familiar;
-Encontrar dentro de casa um local adequado para se trabalhar;
-Administrar o tempo, a fim de fazer da minha rotina a melhor forma de se trabalhar;

Considero essencial a adaptação própria e familiar, tanto fisicamente como psicologicamente, para essa nova realidade.

GH: Que dicas daria para um pai em home office? Como fazer para ser produtivo mesmo com crianças por perto?
AE: Um pai em home office tem que se adaptar à rotina familiar. Minha dica principal é não interferir na rotina da casa, pois isso pode prejudicar tanto o desempenho profissional quanto a harmonia familiar, por isso procuro deixar qualquer atividade externa ao trabalho para o período que não atrapalhe a minha jornada.

Para ser produtivo, trabalho como se estivesse saindo para ir ao escritório todos os dias, seguindo uma rotina.

GH: Quais são os maiores desafios e benefícios do home office?
AE: Acredito que um dos maiores desafios do home office é fazer com que as pessoas entendam que você pode ser produtivo mesmo não estando à vista do seu chefe, conquistar a confiança dos superiores e colegas, estando disponível a qualquer momento dentro do espaço de tempo estipulado pela empresa, e claro, fazer com que as pessoas à sua volta saibam que o fato de você estar em casa não significa que você não está trabalhando.

Quanto aos benefícios, são muitos, e posso destacar como principais o fato de não pegar trânsito (em São Paulo, isso não tem preço), afinal de contas, o tempo que se ganha em não ter o translado pode ser aproveitado de várias formas.
O contato com a família é algo inestimável e com certeza uma das coisas que mais vale a pena nessa modalidade de trabalho.

GH: Conte um pouco sobre a participação da sua esposa neste processo.
AE: Minha esposa tem um papel fundamental, afinal de contas ela consegue administrar a casa sem buscar a minha ajuda durante o período que estou trabalhando, assim eu consigo me concentrar em minhas atividades sem ser interrompido.
Ela, mais do que qualquer um, faz todo esforço necessário para que meu expediente em casa seja o mais produtivo possível, afinal de contas, acreditamos que a continuidade do home office depende diretamente da minha eficiência em casa.

GH: Conseguiria voltar a trabalhar na antiga formatação (sem home office)?
AE: Eu, particularmente, não me vejo mais trabalhando sem home office, e vejo que essa modalidade de trabalho está cada vez mais difundida no mercado, sendo que as empresas estão entendendo que bom desempenho e qualidade de vida estão diretamente ligados.

Obrigada, André, pela participação! Suas dicas são valiosas e certamente vão inspirar muitos.
Quem quiser compartilhar sua experiência em home office, fique à vontade para escrever nos Comentários!

André Elidio

1 Comment

  • Martha Kolomi

    Reply Reply 9 de agosto de 2013

    Felicitaciones André pel sua experiência!!! acredito sim, trabalhar em home office tem altos beneficios e desafíos pessoais e profesionais!! Parabens!!!

Leave A Response

* Denotes Required Field