Convença seu chefe a te deixar trabalhar de casa

Convença seu chefe a te deixar trabalhar de casa
4.6 (92.73%) 11 votos

cq5dam.web_.420.270

Este passo-a-passo eu encontrei no ótimo “The 4 hour workweek” de Tim Ferriss. Entre outras dicas que transformam seu expediente em uma “semana de 4 horas”, o autor ensina como convencer seu chefe a permitir que você trabalhe em casa. Não garanto que é infalível, e nem concordo com todas as ações…mas em todo o caso, vamos lá:

Passo 1: Fale com seu chefe pedindo para participar de treinamentos disponíveis aos funcionários. Ou diga que quer fazer uma pós-graduação e sugira que a empresa ajude a bancar o curso. Quando a empresa gasta dinheiro com o aperfeiçoamento de um bom funcionário, pensa duas vezes antes de demití-lo sem antes ter o retorno sobre o investimento.

Passo 2. Ligue na quarta ou quinta-feira dizendo que está doente, ou avise com antecedência que precisará ficar em casa nestes dias por algum motivo (ex.: a empresa de TV a cabo agendou uma instalação). Não faça isso na sexta para não parecer que está cavando um fim de semana prolongado. E então seja MUITO produtivo nestes dois dias. Trabalhe o dobro do que costuma trabalhar. Copie seu chefe em alguns e-mails mostrando que está ativo e não se esqueça de mensurar tudo para usar depois em seus argumentos de negociação. Para ter acesso aos programas licenciados somente para o computador da empresa, o livro sugere o teste grátis do software GoToMyPC. Eu testei e achei muito bacana.

Passo 3. Crie para si mesmo uma lista mostrando o quanto você foi mais producente trabalhando em casa comparado a um dia no escritório. Cada item deve demonstrar que esta opção é uma decisão estratégica para a empresa e não um capricho pessoal. Utilize fatos como o tempo economizado no trânsito e a redução das distrações do escritório também como causas do sucesso da experiência. Exemplifique os benefícios com dados e medições tomadas no passo 2.

Passo 4. Em uma quinta feira tranquila, de preferência na semana seguinte ao seu teste de home office, respire fundo, bata na porta do seu chefe e pergunte se ele tem 2 minutos para conversar (ensaie o seu diálogo com antecedência, mas não apresente os argumentos em um PPT para não configurar algo sério demais ou irreversível). Diga simplesmente que está com uma idéia recorrente na cabeça. Comente do seu dia em casa, quando mesmo doente conseguiu produzir muito mais do que no escritório. Utilize os argumentos que encontrou na sua pesquisa do passo 3 (produtividade, trânsito, distrações, etc). E então, de forma firme e segura, diga que gostaria de fazer uma experência. Trabalhar dois dias por semana de forma remota durante duas semanas, e então analisar os resultados. Deixe seu chefe tranquilo garantindo que ele pode voltar atrás desta decisão no momento em que achar necessário. Afirme que você vai trocar arquivos e idéias com seus colegas através do celular, e-mails e programas de compartilhamento como o GoToMyPc. E que se houver necessidade, você pode vir até a empresa em qualquer destes dias para participar de uma eventual reunião. Esteja preparado para contra-argumentar de forma educada mas firme. Se sentir que ainda há receio, renegocie reduzindo a experiência para um dia/semana. Para finalizar a conversa, utilize frases de “fechamento de venda”, como: “E então, posso começar na próxima segunda e ver quanta coisa eu consigo fazer?”. Se a resposta for positiva, agradeça e garanta que vai deixá-lo informado sobre tudo. Deixe-o seguro de que nada de errado pode acontecer e que ele não vai se arrepender desta decisão. Procure não disparar nenhum “alarme de pânico” neste processo. Um parênteses: quanto melhor for seu histórico de produtividade na empresa, maiores são suas chances.

Passo 5. Garanta que seus dias fora do escritório sejam os mais produtivos até hoje. E, para aumentar o contraste, talvez seja o caso de reduzir um pouco a sua produtividade nos dias que está no escritório. E então, três semanas depois, marque uma reunião com seu chefe e apresente uma lista de argumentos detalhando o aumento nos resultados e na finalização de tarefas/metas realizadas em comparação com o formato tradicional. E sugira um novo teste: quatro dias por semana durante duas semanas (esteja preparado para negociar reduzindo para três dias). Diga que poderá vir todas as sextas-feiras para preparar a próxima semana junto aos colegas e gerência. Se seu chefe mostrar receios, pergunte do que ele tem medo (peça para que seja específico, não aceite uma negação vaga). E esteja pronto para argumentar contra todas as possíveis objeções. Estes obstáculos podem vir sob a forma de um medo de que você abandone o emprego (“não vou mentir: passou pela minha cabeça, mas este novo formato de trabalho me fez voltar a me motivar”) ou o receio de que outros no escritório também desejem a mesma coisa (“se a produtividade da equipe aumentar, por que não?”). E então, quando perceber que a isca foi mordida, use novamente uma frase de fechamento (“e então, estamos combinados?”) e deixe ele novamente tranquilizado garantindo que pode mudar de idéia a qualquer momento.

Passo 6. Um mês depois de alta produtividade em casa (e de um rendimento “feijão com arroz” nos dias de escritório), diga que vai visitar seus parentes em outro estado e peça duas semanas de trabalho remoto total (o fato de estar longe, evitará que te chamem no escritório para uma reunião, por exemplo). Aqui o mais importante não é “como” e sim “quando” pedir: escolha uma situação em que o aceite é mais provável (ex.: uma fase tranqüila no escritório).

Se ele aceitar: bem vindo ao melhor lugar para trabalhar.

Mas se esta estratégia não der certo, o autor sugere que você mude de chefe. Ou vire empreendedor e chefe de si mesmo (saiba como começar assistindo estes vídeos grátis). Afinal de contas, o mundo é grande demais para ficar perdendo tempo dentro de um cubículo.











2 Comments

Leave A Response

* Denotes Required Field