1,5 milhão de paulistanos trabalham em casa

Rate this post

Esta informação veio do Estadão (02/06) e apresenta um número fabuloso de trabalhadores em home office. Segundo a matéria, “São Paulo tem uma cidade inteira, maior que qualquer outro dos 645 municípios paulistas, gerando riqueza sem sair de casa”. Confira na íntegra:

De acordo com o último Censo, 1,5 milhão de paulistanos – ou 27% dos que têm emprego – trabalham no mesmo local onde vivem. Segundo especialistas, esse contingente ajuda a criar empregos perto de áreas residenciais, o que reduz engarrafamentos e estimula o comércio local.

Os dados fazem parte de estudo do Ibope em parceria com o Estadão Dados, com base nos questionários detalhados do Censo 2010. O levantamento integra série 96xSP, que traz reportagens sobre temas como migração e deslocamento nos 96 distritos da capital.

Os números mostram que há basicamente três perfis de pessoas que trabalham no mesmo local onde vivem. O primeiro são as empregadas domésticas que moram na casa do patrão. Outro são os profissionais liberais, que normalmente têm curso superior e trabalham fazendo serviços esporádicos, como advogados, consultores ou artistas. Além disso, há os proprietários de bares, vendas e restaurantes em bairros de menor renda que moram no mesmo imóvel onde funciona o comércio.

casaabril

Como os perfis são variados, a porcentagem de trabalhadores que não sai de casa é relativamente homogênea pela cidade. Há, porém, um grupo de 11 distritos onde um em cada três paulistanos trabalha no mesmo local onde vive. Mais do que a renda média, eles têm em comum o fato de serem bairros residenciais de ocupação antiga, como Pinheiros, Ipiranga e Penha.

Para o professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) Lúcio Gomes Machado, uma das hipóteses para esse fenômeno é que esses locais foram ocupados antes do Plano Diretor de 1972, que proibiu a existência de prédios de uso misto – onde há comércio no térreo e moradias em cima. “Foi uma decisão urbanisticamente equivocada. Imóveis onde a pessoa pode morar em cima e trabalhar embaixo trazem vida 24 horas à cidade“, diz.

Deslocamento
Outro benefício desse tipo de ocupação, segundo ele, é diminuir o número de pessoas que têm de atravessar a cidade todos os dias para trabalhar. Algo que o artista plástico Fernando Velasquéz, de 43 anos, já não faz há três anos. Ele largou o escritório coletivo que alugava na região da Paulista para focar no seu ateliê que fica na própria casa, na Vila Mariana.

“Você ganha qualidade de vida. Mas, ao mesmo tempo, tem de se cuidar para sair de casa de vez em quando para conversar com pessoas”, diz. Ele aproveita o tempo extra que agora sobra para ficar com os filhos e diz que é preciso foco para administrar melhor seus horários. “Quem trabalha em casa tem de administrar seu próprio tempo, e minha geração não foi educada para isso. Aprendi na marra, de tanto errar.”

5 Comments

  • Michel Campillo

    Reply Reply 4 de junho de 2013

    Essa notícia que li também no Estadão ante-ontem é muito interessante. Eu pessoalmente como consultor de vendas me encaixo na categoria 2 (“os profissionais liberais, que normalmente têm curso superior e trabalham fazendo serviços esporádicos, como advogados, consultores ou artistas”). O grande desafío é ter foco para administrar os horários !

  • Marina

    Reply Reply 4 de junho de 2013

    Oi Michel! Também me enquadro nesta categoria, sou jornalista. Realmente, o desafio é ter foco e disciplina. Mas uma vez nos eixos, via que vai! Sucesso! Um abraço.

  • Emerson Cardinal

    Reply Reply 13 de junho de 2013

    Eu sou Rep Comercial, e trabalho em casa . Realmente, manter o foco enquanto os afazeres omesticos tambem exigem sua atençao é dificil, mas nao impossivel. Mas se as empresas investissem mais nesse topico, desde o transito nas cidades ao contingente de funcionarios nos centros medicos, acredito, iriam diminuir consideravelmente.

  • Maurico

    Reply Reply 19 de julho de 2013

    Sou representante comercial há 4 anos e 6 meses na atual empresa que estou. A empresa fica localizada em Osasco e moro em Santo André, são 48km para ir e mais 48km para voltar, imaginem o custo no final do mês e meu emocional pegando todo dia a Av. Bandeirantes, depois a Marginal Pinheiros e ainda um pedaço da Rod. Castelo Branco..ufaaa. Só de escrever já estou cansado. Bem entramos num acordo e passei a trabalhar em casa, meus clientes são da região central de São Paulo, ainda mais essa, mas conversei com eles, expliquei a situação e aceitaram, hoje são atendidos por telefone e também por e-mail. Quando tiro um pedido, já têm tudo pronto no sistema é só enviar e em menos de 5 minutos já recebo a confirmação do departamento que já está na fila para ser faturado,que lindo….kkkk
    Um conselho que passo para todos que querem trabalhar em casa, tenham disciplina com horários, levem a sério, levante, tome seu banho, se arrume como fosse para sua empresa, coloque horário de iniciar o trabalho, almoço, finalizar o trabalho, não deixe familiares ficarem pedindo favores porque você trabalha em casa, isso só prejudica, falo isso porque tive que cortar até mesmo minha esposa que ficava inventando coisinhas para eu sair e resolver, cortei, sentei com ela e expliquei que o meu trabalho é tão sério quanto o dela e que tenho horário, se quero ir ao banco vou na hora do almoço.
    E com isso estou super bem na empresa, sempre atingindo minhas metas e os diretores sempre me elogiam nas reuniões mensais que fazemos.
    Forte Abraço e boa sorte à todos!!

  • Marina

    Reply Reply 22 de julho de 2013

    Muito bacana a sua experiência, Mauricio! Inspiradora. Podemos revolucionar nosso dia-a-dia com o uso adequado do home office. Parabéns pela disciplina! Sucesso!

Leave A Response

* Denotes Required Field