2 e-mails, 10 anos

2 e-mails, 10 anos
5 (100%) 12 votos

Todo dia o GoHome recebe dezenas de e-mails.

Semana passada recebemos dois bons exemplos. Duas mensagens que representam bem os dois tipos de e-mails mais comuns que o GoHome tem recebido nos seus 10 anos de existência.

Duas mensagens que representam bem dois tipos de brasileiros: o folgado e o cavador.

O folgado não valoriza o trabalho. Não consegue (ou não quer) entender que esforço e oportunidade têm relação de causa e efeito. Acha que tem direitos adquiridos, acha que merece assistência gratuita, acha que os outros devem coisas para ele. O folgado gosta de se fazer de vítima, de coitado. Ele nunca puxa pra si a responsabilidade: a culpa é sempre dos outros. Lembra muito nossos políticos.

O folgado acha que é esperto. É só ler o e-mail do folgado pra entender como funciona a cabeça dele.

E-mails como esse nós recebemos de monte. Infelizmente são a maioria.

Antes a gente ainda tentava argumentar. A gente respondia este tipo de e-mail dizendo que oferecemos muita coisa gratuita no site para quem não pode pagar: mais de 500 artigos com dicas, o curso básico grátis, etc. E a gente ainda completava: se por acaso a pessoa precisasse de um conteúdo mais aprofundado, um conteúdo desenvolvido com mais de 10 anos de pesquisa, conhecimento e vivência em home office, seria necessário investir um pouco mais.

Mas isso nunca adiantou: gente folgada não valoriza pesquisa, trabalho, experiência. Gente folgada não quer estudar, aprender, se esforçar. Gente folgada quer a coisa mastigadinha, facinha, certezinha. Gente folgada quer o caminho mais fácil.

Hoje em dia a gente nem responde e-mail de gente folgada. Ignora solenemente.

Mas felizmente existe outro tipo de e-mail, de outro tipo de brasileiro.

Esse é o cavador.

O cavador não espera um emprego, ele cria trabalho. Vira empreendedor, vira freelancer, vira artesão, vira Uber, vira doceira.

O cavador se vira, mesmo na pior crise que o país das crises já passou.

O cavador gosta de estudar e aprender. Sabe que nada na vida vem sem esforço. Não tem medo de trabalho. Se sente bem trabalhando, produzindo. Ele é grato e trabalha sem reclamar.

O legal de gerar conteúdo pro cavador é que ele não precisa receber tudo prontinho. Ele é proativo. Pra ele basta armar a jogada que ele faz o resto sozinho e arremata um golaço.

O cavador joga no nosso time. E a gente joga no time dele, oferecendo conteúdo grátis e produtos elaborados com muita dedicação.

É pro cavador que há 10 anos a gente criou o GoHome.

Ele vê no home office uma oportunidade de melhorar a qualidade de vida. Ele sabe aproveitar essa chance. Ele encontrou no GoHome o caminho pra realizar o sonho de trabalhar em casa.

E é para o cavador que a gente vai continuar tocando o projeto GoHome com o mesmo carinho e dedicação dos últimos 10 anos.

A gente até poderia deixar uma mensagem final para o folgado, mas provavelmente ele não vai ler esse texto até aqui. 😜

Mas fazemos questão de deixar uma mensagem de 10 anos de GoHome para você, o cavador.

MUITO OBRIGADO pela inspiração e motivação. 😀







Leave A Response

* Denotes Required Field